segunda-feira, 9 de junho de 2008

A sombra(outra vez)

A melhor forma de perceber o quanto gostamos de nós é saber porque gostamos dos outros.
Hoje cruzei-me com a minha sombra...Mal nos olhamos. Antes haviamos discutido. Reflectido, os dois certamente, depois dessa "discussão".
Questões de léxico que se transformam em "conflitos". Como sempre...acabo sempre a perceber o quão o coração trai a razão.
Adoro a minha sombra.
Tem os seus defeitos. Mas é de facto de quem gosto.
Para onde vou. Onde estou. Ela está aqui. Comigo!
É...a minha sombra é a razão de apenas conjugar o verbo esquecer na primeira pessoa, sempre na negativa.
Porque é a minha sombra é com ela que quero partilhar a vida (o tem de ser tem muita força).
Converso muito com ela.
Apesar de sombra é luminosa, positiva, vibrante. E isso transforma-a na razão de ser e no complemento natural do meu corpo...
Apesar de...é de ti que eu gosto(minha sombra!).

7 comentários:

PontoGi disse...

Que bom.somos dois.

flávia disse...

Fogo, com palavras dessas (e mesmo sem conhecer os protagonistas) só espero mesmo q continuem assim juntinhos por muito tempo!

Jorge Rita disse...

Os protagonistas sou eu e a minha sombra(no sentido literal)

flávia disse...

LOL Jorge.
Lá se foi o romantismo da coisa.

Jorge Rita disse...

Não necessariamente. Podemos ver a sombra como uma companhia ou reflexo de um Amor passado.
Andar de mão dada. Discutir. Gostar.

flávia disse...

Isso já é metáfora a mais. Não me confundas mais :D

Jorge Rita disse...

Sou mais do tipo directo e objectivo...mas a metáfora aqui ficou bem...conversa engraçada...