domingo, 22 de fevereiro de 2009

Domingo de bola

Hoje fui à bola. Fui acompanhar um jogo da 3ªDivisão nacional entre as equipas do G.D.Joane e A.D.Fafe.
O jogo foi interessante nos primeiros 45 minutos mas muito mau na segunda parte. Por várias razões das quais queria destacar aquelas que a mim, que fui ver o jogo por razoes profissionais, me deixam os cabelos em pé!
A acompanhar a equipa do Fafe estava uma claque numerosa, ruidosa e jovem que no inicio da segunda parte andou á batatada com meia duzia de adeptos da equipa da casa. A situação irritou-me porque não entendo como é que quem vai ao futebol perde tempo a discutir com o adepto que está ao lado. Depois porque os adeptos e adeptas do Fafe não passavam de um bando de pirralhos de palmo e meio que acho nem sabem porque vão ao futebol e a única coisa que fazem no estádio é assumir uma postura de afirmação pessoal que transmita a ideia ao resto do bando de emancipação através do insulto, do grito e da palermice. (por acaso eram adeptos do Fafe mas a coisa aplica-se a montes de bandos do género que por ai deambulam).
A outra coisa que me irrita é que o arbitro queira assumir o protagonismo que não deve ter. E hoje o arbitro, que não errou assim tanto quanto isso deixou-me os nervos em franja porque quis assumir o papel de artista de um espectáculo onde o importante é a bola e os 22 que atrás dela correm.
Andei duas temporadas seguidas a fazer cobertura de jogos de futebol e foram pormaiores como estes que me obrigaram a desistir de um trabalho que até gosto de fazer. Ao fim do segundo ano já me acontecia ter vontade de protestar e sair do estádio envolvido em energias negativas fruto das incidências do jogo.
Futebol para mim não é isto. Futebol é apenas futebol. Que deve ser vivido de forma vibrante e apaixonada mas com respeito e (como os donos do futebol gostam de dizer) fair play.
Ainda bem que só esporadicamente vou fazer estas coisas...

1 comentário:

Bruno Marques disse...

Uma bela descrição do que é o futebol em Portugal! :D