sábado, 21 de março de 2009

"Só sei que nada sei"

Duvido que algum de vós esteja esquecido desta expressão atribuída ao Filosofo Sócrates, que (creio) está relacionada com o processo filosófico do auto conhecimento, e ligado àquela ideia da prática e procura do Bem, forma e caminho para a Salvação do Homem e da sua Alma. Este "Só sei que nada sei" surgiu-me esta semana a propósito do registo que ouvi na TSF sobre a audição em inquérito parlamentar de Francisco Comprido, um dos administradores do finado Banco Português de Negócios. A questão poderia até passar-me ao lado porque eu não tinha lá nem um euro (não há necessidade de explicar porquê pois não??). O problema é que o outro Sócrates (o filosofo da treta), decidiu com os meus impostos(que fruto dos baixos rendimentos, em abono da verdade diga-se, não são assim tão grandes quanto isso) nacionalizar o banco. Ora, o que vos proponho é escutar as respostas do Sr. Administrador do Banco [que estão no video abaixo] ás questões dos deputados.
Trata-se de um atentado a todo e qualquer cidadão deste País, que diariamente trabalha e contribui para as finanças publicas, e depois vê o seu dinheirinho investido(?) numa instituição bancária que teve um tipo que "só sabe que nada sabe" na sua gestão...



NB: Tem-me faltado tempo para escrever aqui sobre outras coisas. Por exemplo, sobre o SC Braga (sim ando com azia)...Vão passando por cá, eu agradeço a visita!

3 comentários:

Flávia disse...

É pá, isto é verdadeiro? E ao fundo não são risos que se escutam? E ele saiu ileso da assembleia? Não havia quem lhe aquecesse o pandeiro? Não há palavras. Tens que escrever aqui com todas as letras que esta gravação é verídica! Desconfio que um dia encontraremos este fulano numa valeta...

Flávia disse...

Olha jorge precisas de ajuda pra alguma coisa? :-)

Jorge Rita disse...

Este registo é veridico, foi retirado da TSF, do programa "Governo Sombra", dai os risos. Mas o registo já havia passado na quarta feira. A proposito desta audição parlamentar, que durou quatro horas nisto, deputado Nuno Melo, do PP, que é aqui de Famalicão, fez no final algumas considerações e pediu até desculpa por se ter "passado" com as respostas que ouviu de Francisco Comprido. Se duvidas houver, façam pesquisa sobre o assunto...

Bom Flá, eu não preciso de ajuda...ás vezes preciso de parelha e preciso de descanso e de control na lingua...ando mt desbocado..eheheheheheh