quarta-feira, 11 de março de 2009

(supostamente) por um rabo de saia

Hoje (ontem) cheguei tarde a um cenário de trabalho e não pude assistir ao desmontar do palco mas ainda fui a tempo de ter estória.

É assim: um miúdo, desgostoso com os amores da sua curta vida, decide que vai subir uma grua e colocar-se na ponta da mesma, ameaçando lançar-se nos 20 metros que o separam do solo. Não lançou. Ficou lá duas horas. Desceu na auto escada dos bombeiros.
Eu fiquei a admirar-lhe a coragem! 20 metros são 20 metros!
Mas também fiquei a pensar com os meus botões: "Haverá motivo qualquer que uma saia, ou o rabo que ela tapa, possa levar um tipo a subir a grua e armado em Super Homem ficar lá no cimo sujeito a um descuido fatal????? Eu que não conheço nenhum rabo assim!!!"
(Sim, o problema era o descuido porque se a intenção era cair lá do alto ele tinha-o feito em instantes...)
Dei comigo também a pensar que a mim também já me ruiu o mundo, este e o outro, pelo amor mal esclarecido e acabado. Mas no dia seguinte arranjava outro amor e a adolescência seguia o seu curso. O mundo (com letra muito minúscula) caía mas o tombo não era maior que a diferença entre o levantar dos pés para dar o passo em frente.
Se estes miúdos jogassem ao berlinde e fizessem corridas de caricas de certeza que iam dar valor a Amores mal resolvidos.

4 comentários:

AP disse...

hihi..estes míudos de hoje..valha-me nossa..
Querem viver tão rapidamente a vida e gozar todas as experiências e mais algumas que depois dá nisto..
Um beijinho..

Ianita disse...

Precisamente....

Flávia disse...

E viver o resto da vida depois de passar por uma experiência destas n é mais emocionante? haja cojones! se ele n viver o amor assim, agora, nunca há-de ter estórias de jeito para fazer suspirar um dia outras... quiçá.

Bruno Marques disse...

Querer pôr termo à vida por causa de um amor mal resolvido aos 18 anos é sem dúvida uma má ideia.

Quantas pessoas não dariam tudo o que têm para voltar a ter 18 anos e poder ter muitor amores mal resolvidos?

Tenho esperança que esse jovem se torne mais maduro e tenha consciência da grande asneira que podia ter feito. O amor também é ouvir não e conseguir reagir. Sobretudo aos 18 anos...