quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Eleições (Autarquicas)

O facto de estar sujeito à avaliação «do vizinho» é um fenómeno sociológico interessante as eleições autárquicas.
É que se «o vizinho» não vai à bola com o candidato tem o factor proximidade para justificar a posição de voto: ou porque o candidato é barulhento; ou porque tem uma amante; ou porque é um cagão e quer é o tacho; ou porque nunca fez nada e o pouco que possa ter feito fez mal...enfim, um rol de defeito, muitos deles pormenorizados ao pintelho que justificam a não concordância com a candidatura do vizinho-candidato ao cargo público de Presidente da Junta*.
* (ler com sotaque de bêbado, frequentador assíduo de tasca, em jeito de comentador politico especializado em vida alheia).

Sem comentários: