domingo, 1 de agosto de 2010

Portugal, país estatistica

Eu escrevo mal. Dou erros ortográficos. mas pelo andar da carruagem daqui a uns anos não acredito que um miúdo de 20 anos seja capaz de fazer um ditado.
Primeiro é a aberração da avaliação no programa Novas Oportunidades. Agora o fim dos chumbos...
Estatisticamente seremos obviamente um exemplo de sucesso...efectivamente um bando de analfabetos!

6 comentários:

ianita disse...

Com a parte das Novas Oportunidades não concordo... acho que está bem pensado. Pode nem sempre funcionar, mas a ideia é uma boa ideia.

Quanto aos chumbos, assino por baixo. E digo mais, vi um miúdo ir para o 3º ano sem saber ler nem escrever. Vi um aluno ter 15 valores a Português no 12º ano e a escrever coisas tipo "preceber"... foi num curso profissional, mas foi um 15 a Português... e depois queria ir para a Faculdade e tinha da fazer exame a Português. À 4ª tentativa (e pela primeira vez como meu explicando, cof cof) conseguiu, nem sei bem como, um 10.

Pior ainda... na Faculdade, na licenciatura em línguas e literaturas clássicas e portuguesa, uma colega escrevia "bucabulário"...

Não sei que te diga... é sem dúvida um problema estrutural, mas também um problema dos professores... que desistiram. E os professores deveriam saber que são todos professores de Português e que são todos formadores de pessoas...

Jorge Rita disse...

a minha critica é à avaliação das Novas Oportunidades. O programa está bem feito, idealizado e é oportuno. A forma de avaliação e o facilitismo é que não me entram...
:)

Elsa Costa disse...

O fim dos chumbos, chocou-me...
Dando como recurso as aulas de apoio???

Eles sabem quantos alunos tem um professor de apoio e quantas horas semanais com o mesmo aluno??
Ainda por cima querem turmas de 27 alunos.

Nunca um professor de apoio ao estudo, numa hora semanal consegue colocar o aluno com dificuldades ao mesmo nível que os restantes alunos da turma...

E os bons alunos?não se sentem injustiçados?ao verem um colega com menor aproveitamento das suas capacidades a passar de ano, tal como ele...mesmo que a avaliação seja diferente...


E concordo quando dizes que daqui a uns anos seremos um país de analfabetos.
Depois qualquer um poderá ser médico, engenheiro, arquitecto...whatever!!!

Flá disse...

assino por baixo! escreveste mt bem!

Jorge Rita disse...

Escrevi?
Passei no ditado?

Lady disse...

I hear you!!! E não sentisse EU isso na pele!