sábado, 23 de outubro de 2010

O problema das Tribos (das organizações; do Estado)

"Há mais Chefes que Índios!"

Dos meus tempos de criança



A "caloirada" quando entra para a Universidade descobre num ápice a relação existente entre a Abelha Maia e o Calimero. O que eles não sabem é que ainda eu não sabia ler ou escrever e era a Abelha Maia que me fazia brilhar os olhos colado à televisão. (nessa altura não lhe conhecia a relação carnal com o Calimero, confesso)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Retratos

Todos os dias acordo e esbarro na mesma fotografia.
Estão lá os sorrisos...e um sorriso é como o algodão.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Não é justo.

Não é justo que a doença seja capaz de derrubar o ser humano de forma quase fulminante.
Não é justo que a rectidão de postura, a frontalidade que lhe conhecia, e o sorriso e ternura das palavras lhe sejam roubadas de forma tão abrupta.
Já não a via há anos. Mas tive uma fase em que convivemos de forma mais assídua. E foi nessa fase que lhe conheci estas virtudes. Que me incitou até a "batalhas". Teria defeitos, de que não lhe guardo registo.
Fica o Sorriso que lhe ilustrava a beleza.
Fica o óbvio: Desta vez (mais uma vez) o cancro venceu. E Desta vez a G., porque só tem 30 anos, vai recomeçar uma nova vida, seja lá onde for, mas com os mesmos princípios e alegria dos tempos que por cá passou!
Que a Felicidade te acompanhe G.!
Até um dia...
Nós por cá vamos recordar-te e de ti tirar a lição de que vida é para ser vivida da forma apaixonada como sempre o fizeste!

sábado, 16 de outubro de 2010

Lembro-me como se fosse hoje. Foi há 25 anos.


Agora é habito mas na altura era pouco frequente Portugal estar em Mundiais de Futebol.
Menos hábito ganhar fora de casa e à poderosa Alemanha.
No dia seguinte, na ressaca da noite histórica, tive direito ao equipamento da selecção, comprado no Shopping Town, numa loja junto ao pub Saint Tropez, com o número 6 cosido nas costas.
Foi há 25 anos.
Parece que foi hoje!

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Do orçamento.

O problema dos aumentos de impostos sobre os produtos é que numa eventual baixa de impostos nunca o preço do bem acaba por descer.
Sempre foi assim.
Foi assim com o arredondamento aquando da entrada do Euro; assim vai ser com esta subida dos impostos de 21% para 23%.
E há outras coisas que me chocam: o Governo paga rendimentos com valor igual ao salário mínimo nacional acrescidos de subsidio de alimentação diária a cidadãos que estão desempregados e convidados (ou forçados)a frequentar aulas para melhorias das competências nas "Novas Oportunidades". O mesmo Governo que desincentiva a leitura subindo de 13% para 23% o imposto sobre os livros.
Não vou falar dos aumentos em bens derivados de leite. tornava o post muito extenso.
Não sou defensor da proposta de alteração do PSD para a Constituição mas recordo que a critica do PS se centrou na defesa do "Estado Social". Se estas medidas são em função do "Estado Social" eu vou ali e já venho...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

domingo, 10 de outubro de 2010

10/10

Nem tudo acontece quando queremos e como queremos.
A data não deixa de ser especial.
Que a Felicidade nos acompanhe!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Desculpem lá, está a apertar-me a garganta

Há por ai muita besta que não merece o ar que respira.
(e é melhor não acrescentar mais nada, não vá ferir susceptibilidades)

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Meia causa

O blog acompanho-o de há muito.
Agora aqui despende-se dos bens. Por uma causa.

Coisas que nos fazem pensar

Estes dias cruzei-me com o Manoel de Oliveira.
Impresionou-me a vitalidade de movimentos aos 102 anos.
Confirmei-lhe a sabedoria.
Surpreendeu-me o «delicioso» sentido de humor.
Mas de tudo o que disse o que me fez pensar foi o facto de estar casado, com a mesma mulher, há 70 anos. "Eu sei que já não se usa..." disse. E eu pensei no assunto e acho que já não vou ter 70 anos para estar casado com a mesma mulher. Se calhar até teria a sua piada...