segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Não é justo.

Não é justo que a doença seja capaz de derrubar o ser humano de forma quase fulminante.
Não é justo que a rectidão de postura, a frontalidade que lhe conhecia, e o sorriso e ternura das palavras lhe sejam roubadas de forma tão abrupta.
Já não a via há anos. Mas tive uma fase em que convivemos de forma mais assídua. E foi nessa fase que lhe conheci estas virtudes. Que me incitou até a "batalhas". Teria defeitos, de que não lhe guardo registo.
Fica o Sorriso que lhe ilustrava a beleza.
Fica o óbvio: Desta vez (mais uma vez) o cancro venceu. E Desta vez a G., porque só tem 30 anos, vai recomeçar uma nova vida, seja lá onde for, mas com os mesmos princípios e alegria dos tempos que por cá passou!
Que a Felicidade te acompanhe G.!
Até um dia...
Nós por cá vamos recordar-te e de ti tirar a lição de que vida é para ser vivida da forma apaixonada como sempre o fizeste!

1 comentário:

Isandes disse...

foda-se, foi roubadinha...